segunda-feira, janeiro 25, 2016

Doce Lembrança...















Hoje me bateu uma (e) terna lembrança,
Suave, semelhante à brisa fina da manhã.
Boas recordações do tempo ido de criança,
Em que brincava, sem pensar, no amanhã.

Deixei fluir, encantar-se nesta atmosfera;
Bolas de gude na areia – doce inocência!...
Pipas ao vento no céu azul da primavera.
São inesquecíveis em minha existência.

É bom lembrar-se de quão feliz emoção,
Junta com o aprendizado de tantos anos.
Retratos da vida, guardados no coração.

De um tempo mágico que não volta mais,
Ainda que fale a criança, mas com planos.
Penso no labor com enfoque nos ideais.

Elias Akhenaton.
Um peregrino da vida, pescador de emoções.

4 comentários:

  1. Tudo que é bom fica registrado e dá uma saudade.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  2. Como sabe bem recordar os momentos mágicos da nossa infência.
    Maravilhoso poema.
    Desejo-lhe uma Páscoa muito feliz.
    Um abraço
    Maria

    ResponderExcluir
  3. Elias, parabéns!!
    Seu texto é maravilhoso e descreve muito bem esta fase de inocência, do tempo que todos nós sentimos saudades!!

    Grande abraço!!

    ResponderExcluir
  4. CONVITE ESPECIAL PARA AS PESSOAS QUE ACREDITAM QUE PALAVRAS EMOCIONAM.

    Inauguramos recentemente uma Rede Social de Conhecimento onde Valorizamos o Espaço Literário e queremos convidar você especialmente para participar, colaborando com seu talento em nossa Comunidade de Escritores e Leitores.

    O espaço para escrever poesias, textos, artigos, mensagens e pensamentos que mais cresce na web está no: http://www.efuturo.com.br/saladeleitura

    Emocione usando palavras. Palavras dão vida, palavras são vivas. Participe!

    ResponderExcluir